E DE REPENTE TUDO QUE PARECIA FÁCIL E ROTINEIRO, SE TRANSFORMA EM MAIS UMA PROVA DE GARRA E SUPERAÇÃO

Era dia 23 de Julho, um domingo, acordamos cedo, a primeira coisa a ser feita foi conferir o nosso figurino, refazendo bordados onde tinha caído, limpando acessórios, enquanto outros já começavam a fazer cabelo o maquiagem. Todos estavam focados em fazer um belíssimo espetáculo, sem falha,s na Final da Etapa Ceará Junino.
O horário previsto da saída da casa de praia era às 16:00 horas, dava tempo de sobra para chegar ao Dragão do Mar, nos programamos em ir todos pré-vestidos, para não correr o risco de atrasar ou dar algo errado. Tudo corria dentro do esperado e exatamente as 16:00 horas estávamos prontos para entrar no ônibus, quando de repente o que seria fácil e rotineiro começou a se transformar, colocando o Arriba Saia mais uma vez à prova de garra e superação.
O motorista foi desviar de uma foça e acabou caindo em uma área de areia frouxa, ficando atolado… No momento a única coisa que vinha a nossa mente é que iríamos tirar aquele ônibus dalí custe o que custar, uns começaram a cavar embaixo do ônibus, outros carregavam pedras pesadas e tábuas, outros faziam orações…as meninas se propuseram a ajudar, mas devido estarem maquiadas não permitimos.
Veio a primeira tentativa…todos os homens empurrando e nada do ônibus sair, foi obrigado cavar mais, carregar mais pedras, botar mais força e nada do ônibus sair, isso se repetiu umas 4 vezes. Até que veio a primeira prova de garra e superação, onde as meninas mesmo maquiadas foram para detrás do ônibus junto com os rapazes e empurraram, e dessa vez foi diferente, conseguimos desatolá-lo.
A alegria e felicidade foi imensa, depois de 1 hora e 10 minutos tentando, conseguimos tirá-lo dalí e o melhor é que chegaríamos ainda dentro do horário para nos apresentar, pelo menos era o que achávamos.
No caminho nos deparamos com um trânsito congestionado, agente quase não saia do lugar, uma viajem que lavaria 1h e 20 minutos estava se tornando uma eternidade, começamos a receber ligações da Produção do Evento perguntando onde estávamos, pois já estava chegando nosso horário e atrasos não eram permitidos, pois sofria punição, começamos também a receber mensagens e ligações de amigos, fãs e diretores da União Junina se propondo a ajudar no que pudessem.
Infelizmente nada podia ser feito, afinal não temos como parar o tempo. Começamos pelo menos a trocar de roupa dentro do ônibus.
Lembro da última ligação que recebemos da produção do festival, dizia mais ou menos assim: Agente, não pode segurar ou estender o tempo de vocês porque será visto como benefício, às 19:00 horas a gente vai abrir a contagem do tempo de montagem de cenário e após vai ser aberto o tempo da quadrilha. Faltou forças nessa hora, depois de ouvir isso começamos a pedir que pelo menos deixássemos nos apresentar pois não há frustração maior para um grupo cultural ou artista não poder apresentar sua arte…mas a fé em Deus era maior e ainda tínhamos esperança de dar certo.
No ônibus recebemos o comunicado que nosso tempo para montagem de cenário foi aberto, o desespero aumentou, mas a fé também aumentava junto e exatamente às 19h:02min estávamos chegando ao Dragão do Mar.
Deus é tão maravilhoso que não se contentou em mandar os amigos, fãs e diretores que falei acima, mandou também uma plateia enorme que nos recebeu com uma imensa salva de palmas. Rápido montamos nosso cenário (com algumas falhas e faltando material de cena que não deu tempo organizar).
Conseguimos graças a Deus e as pessoas que nos ajudaram fazer uma belíssima apresentação, onde levantamos o Dragão do Mar e mostramos mais uma vez que Arriba Saia é a Mais Amostrada do Ceará pela sua garra e superação.
Isso serviu para mostrar que quando todos se unem, todos conseguem e que ganhar não é nada comparado ao amor do público e o prazer de poder mostrar nossa arte.
Fica mais uma vez nossos agradecimentos aos amigos, fãs e produção do festival que rezaram por agente e também aos diretores da nossa entidade União Junina que não mediram esforços para nos ajudar. 

por: Ícaro Bastos 

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja mais