NOTA DE FALECIMENTO – PEDRO PIAU

É com pesar que comunicamos o falecimento do Sr Pedro Alves de Morais (Pedro Piau). Ocorrido hoje em fortaleza. Sue corpo será trasladado aqui para Várzea Alegre, devendo estar chegando por volta das 05:00 da manha no Centro de Velório Anjo da Guarda, haverá missa de corpo presente às 07:00, na Igreja Matriz de São Raimundo Nonato e em seguida sepultamento no cemitério da saudade.

Varzealegrense nascido no bairro Betânia, em 12 de julho de 1918, filho de Joaquim José Vieira e de Maria Alves de Morais.

Aos 6 anos, mudou-se para a Rua José Correia Sobrinho, no exato local onde hoje funciona o Centro de Abastecimento Josué Alves Diniz.
Em 1927 passou a residir no sítio Vazante, atualmente um populoso bairro da cidade, na rua que veio a receber o nome de Iraci Bezerra de Morais, sua primeira esposa. No local residiu até o casamento.
Sua infância foi igual à de qualquer garoto daquela época: brincar de cavalinhos de pau, tomar banho nos riachos e poços em companhia de seus amigos, confeccionar animais de barro, perseguir passarinhos armado de bodoque, tudo isso até os 7 anos.
A partir daí, já tinha condições de desempenhar tarefas mais simples, como pastorar passarinhos para não estragar as plantações, apartar bezerros, carregar água, fazer compras, levar recados e outros serviços, até torna-se adulto, quando passou a executar qualquer trabalho roceiro.
Seus estudos foram bem poucos, não tendo sequer chegado a concluir a 1ª Série Primária, até que, já com 20 anos, deslocou-se para Fortaleza, matriculando-se na Escola de Comércio da Fênix Caixeiral.
A dificuldade de emprego e a precariedade de recursos, no entanto, forçaram-no a retornar às lidas do campo em sua terra natal, no mesmo ano de 1938.
Em 1939, atendendo solicitação do Sr. Agostinho Duarte Bezerra, do sítio Rosário, foi residir em sua casa, a fim de alfabetizar seus filhos e outros adolescentes da vizinhança.
Em maio de 1940 foi convidado por Otacílio Correia, então Delegado Municipal do Serviço Nacional de Recenseamento, para concorrer ao cargo de Agente Recenseador; na seleção realizada, foi o 1º colocado de 8 candidatos, obtendo nota máxima em todas as provas.
Em agosto de 1941 foi procurado por José Alves Feitosa (seu Dudau), então Tabelião do 1º Ofício local, para auxiliá-lo nos trabalhos, tendo sido nomeado por ato do Dr. Vicente Bessa, então Juiz de Direito da Comarca de Lavras.
Em agosto de 1949 transferiu-se para o 2º Cartório, que tinha então como titular efetiva a Senhorita Ana Ferreira; ali continuou suas atividades até 1969, quando solicitou sua aposentadoria.
Em 1970 passou a residir em Fortaleza, onde veio a perder sua esposa, em 10 de novembro de 1974. Falecendo sua primeira mulher em 1974, permaneceu viúvo até 1988, quando veio a casar com Maria Socorro Lima, também natural de Várzea Alegre, onde o casal reside.
Já aposentado, trabalhou nove anos no Pronto Socorro Dular, locadora de mão-de-obra pertencente ao conterrâneo José Carvalho.
Em parceria com Acelino Correia Leandro escreveu o livro Sete Gerações Após Papai Raimundo, publicado em 1995.
Dos seus 14 filhos com Dona Iraci, 3 faleceram em idade prematura: Joaquim, Maria Socorro e Maria Inês. Além deles, faleceram Luís Sérgio, aos 36 anos, deixando viúva Maria Clayre Menezes, sua conterrânea, e João Morais em 1999. Os 9 ainda vivos, todos residentes em Fortaleza, são:
Raimundo – Comerciante, casado com Fátima Costa, varzealegrense;
Rita Maria – Formada em Ciências Contábeis, funcionária do INSS, casada com Joemilton Martins, varzealegrense;
Geralda – Professora, formada em Comunicação, viúva de Haroldo Bezerra, Advogado que residiu em Várzea Alegre;
Ozanan – Formado em Ciências Econômicas, Auditor Fiscal da Fazenda Estadual, casado com Francisca Glória de Oliveira, natural da vizinha Mangabeira, distrito de Lavras;
Joaquim – Gerente de uma distribuidora da Brahma, casado com Sílvia Helena de Castro, natural de Fortaleza;
Paulo – Comerciante, casado com Luisa de Lourdes Mota, Assistente Social, natural de Fortaleza;
Paula – Comerciante, solteira;
Marcos Antônio – Comerciário, casado com Fernanda Primo, varzealegrense;
Ricardo César – Formado em Informática, funcionário do Banco do Nordeste do Brasil, casado com Poliana, ambos estudantes do curso de Direito em Juazeiro do Norte, onde residem.

Postado por CLÁUDIO SOUSA às 17:53

Veja mais